13/08/2008

Web 2.0 e afins


Mesmo que eu tenha criado este BLOG, A jornalista 2.0, não quer dizer que eu domine absolutamente tudo que envolve este mundo WEB. Após ouvir alguns termos em uma das aulas do curso, até então desconhecidos por mim, fui pesquisar...

Acredito que por aqui também passarão outras pessoas leigas, que ficarão se perguntando, 2.0, como assim? Minha mãe mesmo será uma delas, rsrs

Então minha mãe querida, este post é dedicado a você:

Tentando explicar de uma maneira mais prática, esse termo Web 2.0 surgiu para descrever a segunda geração da World Wide Web -tendência que reforça o conceito de troca de informações e colaboração dos internautas com sites e serviços virtuais. A idéia é que o ambiente on-line se torne mais dinâmico e que os usuários colaborem para a organização de conteúdo. Como? Por meio de upload de conteúdo (upload é o contrário de download, ta mãe?), pelas comunidades, que fazem parte destes sites todos de relacionamento: Orkut, Myspace, Gazzag, etc.

A definição mais simples que encontrei sobre esse papo de web 2.0 e a melhor para eu explicar pra quem não tem a mínima idéia do que é, foi a do Guilherme Felitti, coleguinha de profissão, repórter do IDG NOW e mestrando em web 2.0

“Web 2.0 usa a web como plataforma de socialização e interação entre usuários graças ao compartilhamento e criação conjunta de conteúdo.”

Confira um glossário da Web 2.0 elaborado pela Folha de S.Paulo

AdSense: Um plano de publicidade do Google que ajuda criadores de sites, entre os quais blogs, a ganhar dinheiro com seu trabalho. Tornou-se a mais importante fonte de receita para as empresas Web 2.0. Ao lado dos resultados de busca, o Google oferece anúncios relevantes para o conteúdo de um site, gerando receita para o site a cada vez que o anúncio for clicado

Ajax: Um pacote amplo de tecnologias usado a fim de criar aplicativos interativos para a web. A Microsoft foi uma das primeiras empresas a explorar a tecnologia, mas a adoção da técnica pelo Google, para serviços como mapas on-line, mais recente e entusiástica, é que fez do Ajax (abreviação de "JavaScript e XML assíncrono") uma das ferramentas mais quentes entre os criadores de sites e serviços na web

Blogs: De baixo custo para publicação na web disponível para milhões de usuários, os blogs estão entre as primeiras ferramentas de Web 2.0 a serem usadas amplamente

Mash-ups: Serviços criados pela combinação de dois diferentes aplicativos para a internet. Por exemplo, misturar um site de mapas on-line com um serviço de anúncios de imóveis para apresentar um recurso unificado de localização de casas que estão à venda

RSS: Abreviação de "really simple syndication" [distribuição realmente simples], é uma maneira de distribuir informação por meio da internet que se tornou uma poderosa combinação de tecnologias "pull" --com as quais o usuário da web solicita as informações que deseja-- e tecnologias "push" --com as quais informações são enviadas a um usuário automaticamente. O visitante de um site que funcione com RSS pode solicitar que as atualizações lhe sejam enviadas (processo conhecido como "assinando um feed"). O presidente do conselho da Microsoft, Bill Gates, classificou o sistema RSS como uma tecnologia essencial 18 meses atrás, e determinou que fosse incluída no software produzido por seu grupo

Tagging [rotulação]: Uma versão Web 2.0 das listas de sites preferidos, oferecendo aos usuários uma maneira de vincular palavras-chaves a palavras ou imagens que consideram interessantes na internet, ajudando a categorizá-las e a facilitar sua obtenção por outros usuários. O efeito colaborativo de muitos milhares de usuários é um dos pontos centrais de sites como o del.icio.us e o flickr.com. O uso on-line de tagging é classificado também como "folksonomy", já que cria uma distribuição classificada, ou taxonomia, de conteúdo na web, reforçando sua utilidade

Wikis: Páginas comunitárias na internet que podem ser alteradas por todos os usuários que têm direitos de acesso. Usadas na internet pública, essas páginas comunitárias geraram fenômenos como a Wikipedia, que é uma enciclopédia on-line escrita por leitores. Usadas em empresas, as wikis estão se tornando uma maneira fácil de trocar idéias para um grupo de trabalhadores envolvido em um projeto.

Mãe, se depois tiver alguma dúvida, me pergunte que eu prometo explicar direitinho,rs

2 comentários:

Eric disse...

Olá Renata!! Olha eu aqui (promessa é dívida!).
Gostaria de complementar seu post com uma definição que li no Webinsider, escrita pelo Gilberto Alves Jr, que acho perfeita.

“Web 2.0 é, basicamente, uma internet viva. O que faz essa nova internet ser viva é muito simples: internet é feita de gente”.

Abs,

Fabiana Mello disse...

Puxa, o citado Gilberto disse tudo...