05/02/2009

Nunca subestime um possível cliente

Escrevo este post porque estou montando uma loja virtual e começando a levantar as marcas do meu interesse para revenda.

Tenho contatado algumas empresas do segmento que pretendo atuar, que têm encaminhado as minhas solicitações aos representantes regionais. Estes por sua vez, retornam imediatamente querendo agendar reunião. Acontece que estou começando agora, começando a estruturar, a pesquisar, a comprar, a estocar, a configurar a loja e etc.

O que percebo neste primeiro contato ao telefônico é que agem com indiferença, quando não se trata de um empreendimento estabelecido. O que não sabem é que tenho grande potencial de crescimento. Uma base de mais de 100 mil contatos e pessoas que me pedem por produtos, acessórios e tudo mais relacionado. Tenho uma revista virtual que será relançada em breve, que atrairá visitas e possiveis compradores também. Quando falo isso e apresento o projeto, a conversa muda de configuração. O vendedor passa a ser atencioso e chega a ser engraçado.

Mas o primeiro contato é como se fosse a primeira impressão,rs Eu poderia já ter criado uma antipatia e não querer mais trabalhar com o produto da empresa que ele representa.

Parece uma vez que fui ver o preço de um carro, em uma concessionária da Ford. Fui com um carro velho que a família usa para ir pra chácara. Viram eu saindo do carro, cheguei na loja e ninguem veio me atender. Mal sabiam que eu tinha dinheiro para comprar o carro à vista. Fiquei lá, andei de um lado para o outro, ninguém. Saí, não comprei e nunca mais voltei!

A arte de vender é para poucos. Depois perguntan porque uns fecham bons negócios e outros não.

Um comentário:

Fernanda disse...

Eu trabalho com vendas... várias vezes pego GRANDES clientes trabalhando com nomes desconhecidos das suas empresas para 'testar' o atendimento.
Quem nao atenderia bem a Nintendo? Mas e a Latamel Inc? Foi assim q o cliente se apresentou. E depois de ser bem atendido falou q era Nintendo.