12/12/2008

O que um desenvolvedor de site e um mecânico têm em comum?



Uma das tarefas mais difíceis para um leigo é decidir quem contratar no momento que ele resolve ter o seu próprio site. Há quem pense que basta digitar “construção de site”, que uma infinidade de empresas desenvolvedoras aparecerão e pronto, resolvido, mas como em meio a tanta oferta, escolher aquela que de fato cumpra o papel de construir o seu site como se deve?

Vou explicar:

Quando uma pessoa decide ter um site na internet, é porque ela deseja compartilhar seu conteúdo com outras pessoas, quer seja uma empresa, uma escola, uma floricultura, independente do segmento. O site precisa ser encontrado pelos canais de busca, por parceiros, pelos possíveis clientes para gerar oportunidades. Acontece que infelizmente existem milhares de programadores que hoje têm feito como aprenderam há décadas, não se reciclaram, não estão seguindo a velocidade dos novos códigos. Resultado: o seu site não será encontrado, deixará de cumprir seu objetivo e você gastou grana à toa. No máximo servirá para ter o link impresso em seu cartão de visitas.

Desenvolvedores de sites precisam ser como consultores, devem auxiliar o cliente sobre as melhores ferramentas a serem utilizadas e a melhor maneira de apresentar isso na web. O problema é que quando a pessoa é leiga e paga pelo desenvolvimento de um site, está confiando no trabalho do profissional e nele deposita todas as suas fichas. É como, por exemplo, quando uma mulher (eu) vai a um mecânico. Chega lá e diz: - Meu carro quebrou e ele diz, tem que trocar a rebimboca da parafuseta e eu digo, ok. No máximo vou até outros para comparar se o problema é aquele mesmo e pronto. Afinal, quem sou eu para discutir com o mecânico? Não entendo nada mesmo e não vou discutir... Vejo acontecer o mesmo quando um leigo pede para uma pessoa fazer um site. Por mais que o desenvolvedor seja ruim, desatualizado e faça um site péssimo, ele se vende como o melhor de todos. Se ele quiser te enrolar e se você for leigo, ele vai conseguir!

Se ele desenvolve um site que as pessoas jamais encontrarão na internet ele pode dizer que a culpa é do dono do site, mas não é bem assim. O site por si só já está sendo feito para ser encontrado, então é obrigação de quem está desenvolvendo facilitar já na programação, para depois o dono do site dar continuidade com a missão de trocar links, banners, cadastrar em alguns canais de buscas e por aí vai.

Fiz o meu primeiro site com a indicação de uma amiga. ERREI FEIO. O dito cujo só me enrolou e depois ainda ficou boicotando os códigos-fontes e mesmo que os cedesse, o outro desenvolvedor nem teria o que fazer com aquilo. O segundo desenvolvedor que contratei se esforçava até, mas com o tempo vi que também errei. Fez um gerenciador de conteúdo cheio de bugs, vendeu a idéia de que o site teria todos os processos automatizados, mas depois fui ver que dependiam que eu os fizesse manualmente. Quase desisti do meu projeto até que decidi pesquisar, pesquisar e entender um pouco mais sobre isso.

Descobri que existem programadores e PROGRAMADORES. Os ultrapassados e os avançados. Os que simplesmente fazem e os que te auxiliam e mostram os melhores caminhos. Descobri que existe SEO (Search Engine Optimization) e seu site precisa ter no próprio código as palavras chaves do seu conteúdo. Descobri também que existe maneira de programar o site fora de tabelas (tableless), para que os robôs dos buscadores identifiquem com maior facilidade o conteúdo. Descobri que sites produzidos em FLASH de certa forma atrapalham que os canais de busca realizem a leitura do conteúdo e por aí vai. Fora que o seu site precisa ter RSS FEED, para outras pessoas assinarem e acompanharem as atualizações dele. Isso gerará fidelização dos leitores e é extremamente importante.

O problema é que são poucos os profissionais que dominam estes padrões e ferramentas. O profissional ou agência de criação de site precisam ser MUITO BONS e o bons saem caro.

Meu site está sendo refeito pela III vez e depois de muito penar estou no caminho certo e otimista. Espero que isto sirva de alerta para você que deseja ter um site de verdade na internet. Se a estrutura/programação do seu site estiver adequada e o conteúdo for relevante, tenha certeza de que será um sucesso!


Para ler mais sobre isso:

TABLELESS
SEO
WEBSTANDARDS
RSS FEED


Um comentário:

Thais Aux disse...

É nessas horas que a ignorância NÃO é uma bênção. Que bom que vc já sabe disso tudo! Acho que quem quiser trabalhar com internet tem que saber pelo menos isso, né?

Bjs!